sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Um Novo Tempo!

Um novo ano chegou e com ele renovamos nossos planos e estabelecemos novas metas e objetivos. Isso é muito bom! Infelizmente, é ineficiente na maior parte dos casos. Se quisermos que 2016 seja um ano realmente novo precisamos observar o que nos diz as Sagradas Escrituras. No livro de Eclesiastes, mais precisamente no capítulo três, o sábio faz uma reflexão sobre o tempo. É interessante notar que o texto tem seu início com o tempo de nascer e conclui-se com o tempo de viver em paz, ou seja, o período que compreende toda a existência humana...


O tempo é com certeza o bem mais precioso que possuímos, pois é o único que não tem volta. Por isso devemos aprender a administra-lo da melhor maneira possível. Na passagem bíblica citada, o autor destaca que há uma época determinada para que todas as coisas aconteçam debaixo do céu. Geralmente não gostamos da ideia de que a vida não é composta apenas de momentos felizes. Desejamos que a experiência humana seja o menos traumática possível, que não tenhamos problemas e que todas as nossas necessidades e desejos sejam supridos assim que surgirem.
          Mas eu e você já notamos que as coisas não funcionam assim. A vida é composta de fases e ciclos e para que possamos ser plenos precisamos aprender a viver cada um desses momentos. Não podemos e nem devemos fugir deles, muito menos evitá-los, mas precisamos experimenta-los com intensidade e sempre com a disposição de extrair lições que nos transformem em seres humanos melhores. O viver não é uma linha reta, uma progressão constante, antes é um passo de cada vez e a incerteza do amanhã sempre presente.
          Passamos naturalmente pelas fases da vida como bebês, crianças, adolescentes, jovens, adultos e velhos, mas isso não significa necessariamente que experimentamos a beleza de cada um desses períodos. Quantas vezes nos vemos defronte de pessoas que tem uma idade natural e outra mental? Esse retardamento ou antecipação acontece principalmente pela incompreensão de que cada etapa do nosso viver tem o seu propósito de ser. Desde a mais tenra idade vamos acumulando experiências que determinarão o nosso futuro. Não devemos pular etapas, pois com certeza isso nos afetará em algum ponto.
         O mesmo acontece com os ciclos da vida, que são diferente das fases, pois acontecem diferentemente com cada um. Assim como as estações do ano (verão, inverno, primavera e outono) se sucedem uma após a outra, nossa vida também é constituída de uma sucessão de ciclos. Há tempo de alegria e de tristeza, de fartura e de escassez, de nascimento e de luto, de ganhar e de perder, de avançar e de retroceder... Assim é viver e não podemos lutar contra isso, pois não temos o poder de controlar todos os fatores que nos sucedem.
          Devemos buscar no Pai a sabedoria necessária para viver cada fase da vida plenamente e para desfrutar de cada ciclo com serenidade e gratidão. Devemos nos assentar na promessa encontrada em Romanos 8: 28, onde diz que tudo, tudo mesmo coopera para o bem daqueles que amam a Deus e vivem de acordo com a Sua vontade. Isso não significa que vamos assumir uma atitude passiva diante da existência, pois Deus nos chamou ao protagonismo. Vamos sim, compreender que mesmo a despeito dos nossos melhores atos, não conseguimos determinar como tudo acontecerá. 
          Com posse desse entendimento podemos conduzir nossa vida como uma peregrinação de fé, onde vamos sorrir e chorar, calar e cantar, gostar e desgostar, abraçar e afastar-se de abraçar. Essa é a Vontade do Criador; que sejamos únicos e que transformemos a nossa existência numa bela história, onde erros e fracassos servem como oportunidades para acertos e sucessos. Viva cada fase da vida plenamente e passe pelas estações sempre com a certeza de que se Cristo é o Senhor de sua vida. Ele estará no controle sempre e nada acontecerá fora do Seu propósito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desse post?