sábado, 12 de abril de 2014

A Mensagem do Filme Noé


          Não tenho a motivação e nem a qualificação necessária para tecer uma critica especializada a respeito do filme Noé, mas, em meio a nuvem de polemicas que o longa suscitou, quero apenas deixar algumas impressões. Não é preciso ser historiador ou teólogo para saber que a narrativa da trama não é histórica e muito menos bíblica.
          A obra dirigida por Darren Aronofsky (autor de Cisne Negro) e estrelada por um elenco de primeira grandeza: Russel Crowe (Noé), Jennifer Connely (esposa de Noé), Anthony Hopkins (Matusalém) e Emma Watson (esposa de Sem) contou com um orçamento de centenas de milhões, com uma cenografia riquíssima e com efeitos especiais extraordinários, reunindo portanto todos os requisitos para se tornar um épico memorável. Infelizmente, parecer não ser esse o desfecho do longa. O filme se valeu de uma das mais belas narrativas bíblicas descaracterizando-a de maneira grotesca e abusiva.
        O bispo Marcelo Brayner, da Igreja Universal do Reino de Deus destacou acertadamente todos os erros bíblicos cometidos na trama (veja em http://cinema.gospelprime.com.br/erros-biblicos-filme-noe/). As críticas são generalizadas, pois, além da ausência total de compromisso com o texto bíblico o enredo traz uma mescla entre um passado distante e um futuro pós apocalíptico. Noé parece muito mais um mercenário oriundo do filme "O Livro de Eli" do que um patriarca bíblico.
          Desde a estréia no Brasil (03 de Abril de 2014) percebi nas redes sociais o descontentamento com o longa. Fui então assistir para formar meu conceito e além de tudo o que já destaquei, percebi uma motivação oculta e proposital nas entrelinhas. É fato que o sucesso nas bilheterias está garantido, mas acredito que o grande objetivo do filme vai muito mais além do que o retorno financeiro.
          Não é de hoje que a industria cinematográfica vem sendo usada como ferramenta de manipulação das massas para os mais diversos fins. Um dos principais alvos da artilharia hollywoodiana sempre foi o cristianismo. O enredo de Darren Aronofsky traz a perspectiva humanista e por que não satanista de um Deus tirano e cruel, que manipula a raça humana a seu bel prazer. Além disso, apresenta os demônios ou anjos caídos como criaturas injustiçadas e que merecem redenção.
          É claro que a grande maioria dos cristãos que possuírem o minimo conhecimento bíblico refutarão tais insinuações, mas o que dizer daqueles que não conhecem as Sagradas Escrituras? Será que conseguirão dissociar a fantasia da realidade? O objetivo de Satanás é confundir e disseminar suas mentiras usando o máximo de ferramentas que estiverem à disposição. É óbvio que o filme Noé é apenas mais um esforço satânico para desqualificar a Deus e à Sua obra na terra. Nós, como cristãos, devemos permanecer vigilantes refutando qualquer ideia que desqualifique as nossas convicções de fé.