domingo, 23 de novembro de 2014

Rompendo com a Mediocridade


          Sua vida hoje é o resultado de uma série de fatores que influenciaram no seu desenvolvimento, tais como: formação familiar, educação, ambientes, pessoas, circunstancias e outras coisas mais. Observamos pessoas que tinham tudo para "ser" e não "são" e outras que aparentemente nasceram condenadas ao fracasso, mas que conseguiram alcançar a superação de todas as suas limitações. Por que isso acontece? Tudo depende da mudança de mentalidade. Sem dúvida alguma somos o resultado da imagem que temos de nós mesmos. Somos a soma de nossas crenças, sejam elas positivas ou negativas e isso determinará se o sucesso ou o fracasso dominará nossa vida. Sua vida espiritual; ministerial; profissional, seu casamento, sua família, suas finanças... serão afetadas pela forma como você compreende a Deus, a si mesmo, as pessoas e o mundo ao seu redor.
          Jesus Cristo trouxe ao mundo o Evangelho, que significa "boas novas". Trouxe a humanidade uma mensagem poderosa de salvação, de libertação e transformação. Infelizmente muitos não compreenderam e ainda hoje não compreendem o poder e a relevância da proposta divina. Reduzem a mensagem da cruz ao estabelecimento de um conjunto de dogmas religiosos que mais escravizam o homem do que o libertam. Cristo nos ofereceu um reino, uma nova forma de vida e governo. Antes vivíamos no reino das trevas, sem vida, sem liberdade, governados por paixões e sentimentos que só aprisionavam a alma, promovendo desespero, destruição e morte. As boas novas trouxeram de volta a esperança de uma nova vida, onde o amor, a paz, a prosperidade... pudessem novamente ser alcançadas. Precisamos compreender que o Reino de Deus, antes de tudo é um reino de consciência, onde a vontade divina prevalece. Esse reino é regido por princípios que levam o homem a desfrutar da plenitude em sua existência.
         Jesus nos ofereceu a possibilidade de voltamos a essência, de voltarmos ao projeto original. Mas para que isso aconteça precisamos experimentar o novo nascimento. Esse processo tem constantemente sendo diminuído apenas para o conceito de uma mudança espiritual, ou de natureza; da carnal para a espiritual. Infelizmente se ficar apenas nisso está incompleto, pois o homem não é apenas espírito, é também alma e corpo. A vontade de Deus é que todas as áreas do ser humano sejam alcançadas pelo poder da Sua Palavra. O novo nascimento também compreende uma mudança profunda de mentalidade. Jesus quer mudar nossa forma de pensar, pois isso mudará nossa forma de agir, o que consequentemente acarretará mudanças em todo o nosso viver.
          Nos dois primeiros versículos de Romanos 12, encontramos o apóstolo Paulo nos exortando sobre a importância de submetermos a nossa mente a uma mudança profunda através da exposição às escrituras sagradas. Na primeira carta aos Coríntios, Paulo nos incentiva a termos a mente de Cristo, ou seja a assumirmos a Sua forma de pensar e ver o mundo como um todo. Claro que esse processo não invalidará a nossa personalidade, pois somos seres únicos, pelo contrário fará aflorar a nossa verdadeira identidade que está em Deus.
          Você tem uma imagem ao seu respeito, mas essa pode não refletir o que você verdadeiramente é. Quando você recebe as boas novas da salvação passa a ter a possibilidade de receber novamente a identidade original e com ela desfrutar da vida abundante prometida por Jesus. Com essa nova mentalidade você reeditará os erros e as experiências negativas do passado e terá liberdade para construir uma nova forma de viver. Essa é a liberdade que Cristo prometeu a cada um de nós, pois, para desfrutar as bençãos do Reino de Deus é preciso ter a mente renovada, ter uma visão correta de sua personalidade, pois somente assim será possível a verdadeira submissão a vontade e ao propósito de Deus. 

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

O Inimigo que Habita em Mim


          Encontramos nos últimos versículos do capitulo sete da epístola aos Romanos, o grande dilema vivido pelo apóstolo Paulo, quando enfrentava a maior de todas as batalhas; a sua luta interna contra seu inimigo mais íntimo. Paulo de Tarso, o destemido e corajoso desbravador do evangelho entre os gentios estava face a face com as próprias fraquezas e limitações, ao ponto de afirmar ser o maior dos pecadores. Esse dilema não foi algo exclusivo do mártir cristão, mas é inerente a todo aquele que intenta ter uma vida agradável a Deus.
          O conflito entre renunciar a vontade própria em prol de uma obediência abnegada ao Criador é o cerne da vida cristã, pois fundamentalmente trata da gênese do pecado, que é raiz de todos os males. Somos maus por natureza! Essa é uma afirmação chocante, mas reflete a mais pura realidade. O pecado de Adão levou a humanidade a um estado de constante rebeldia e transgressão. Quando recebemos a Jesus como Salvador de nossas vidas, muitas vezes pensamos que estamos imunes ao pecado e suas consequências. Ledo engano! Continuamos sujeitos a vontade da carne e a tentação do pecado.
          Por mais santos que sejamos, enquanto vivos, nunca estaremos completamente imunes a sedução maligna e a queda, mas temos à nossa disposição a força do Espírito Santo e a sua ação transformadora em nossa vida. Porém, será de grande valia encarar as nossas fraquezas de frente e buscarmos em Deus estratégias para neutralizarmos os ataques ardilosos do inimigo de nossas almas.
          Note que na Bíblia Jesus sempre é apresentado como nosso Senhor e Salvador e não o contrário. Ele só será efetivamente o nosso salvador, quando nos submetermos inteiramente ao seu senhorio. O que não é algo fácil.
          A submissão a Cristo não pode ser apenas uma promessa vazia, precisa ser efetiva e isso só será possível através do esvaziamento do Eu, ou seja, de uma vida pautada pela abnegação constante, porém voluntária. Dessa forma compreendemos que sem um relacionamento profundo com Jesus é praticamente impossível vencermos o mal que habita em nós. Através dessa compreensão não menospreze o inimigo que habita em você, pelo contrário, mantenha-o vigiado e completamente sujeito ao poder do Cristo que habita em sua vida, grande abraço.




quarta-feira, 1 de outubro de 2014

As Marcas de um Governo Anti Cristão



          Estamos vivendo um momento crucial em nossa nação. Esse blog, desde sua concepção é um espaço dedicado à propagação do Evangelho de Cristo e à exposição das reflexões oriundas do mesmo. Hoje quero abordar o cenário político atual. Você pode me perguntar: O que isso tem a ver com a fé cristã? Tem mais do que você pode imaginar.
          Estamos a quatro dias das eleições, a quatro dias do dia que mudará a nossa vida pelos próximos anos. Poderia ser mais um pleito eleitoral comum, onde os candidatos disputariam uma posição de poder, mas não é! Estamos em meio a uma guerra mais violenta que os ataques políticos desferidos entre os candidatos. Estamos em meio a uma guerra ideológica!
          Nosso país, desde sua fundação é majoritariamente cristão, tendo suas raízes inicialmente no catolicismo e mais tarde aprofundadas no crescimento do protestantismo. Apesar das diferenças marcantes entre católicos e protestantes, sempre convivemos harmonicamente buscando convergir em temas que nos unem, como: a rejeição ao aborto, a compreensão do casamento entre homem e mulher e a afirmação dos valores da família. Afinal cremos na Bíblia!
          Mas, não somos uma ilha. Somos o maior país da América Latina e por muito tempo permanecemos como um porto seguro da democracia e da liberdade de expressão e religiosa. Observamos em nossos vizinhos uma sucessão de governos ditatoriais influenciados principalmente pelo fracassado socialismo soviético. Tais regimes levaram países como: Paraguai, Bolívia, Venezuela, Equador, entre outros a um estado permanente de sub-desenvolvimento e atraso. Pensávamos que éramos imunes a essas influencias, mas nos enganamos.
          Desde a ditadura militar se intensificou no Brasil o flerte por esse modelo socialista falido. Surgiram partidos de vertente comunista-socialista com seus discursos radicais e revolucionários, sempre com um pano de fundo anti-cristão e anti-democrata. Por um bom tempo essas agremiações não lograram êxito, até que o discurso mudou e alianças com as frentes conservadoras, até então rejeitadas se sagraram, levando os comunistas ao tão sonhado poder.
          Nestes últimos doze anos, sob o governo petista uma onda de assistencialismo varreu o país, sob a justificativa da erradicação da miséria extrema. Uma atitude louvável, se não tivesse por trás o objetivo de manter os beneficiados amarrados eleitoralmente por tais programas. O país desfrutou de certa prosperidade, oriunda principalmente da estabilização da moeda, do controle inflacionário (frutos do Plano Real) e da crise econômica que se abateu sobre as grande potencias, fazendo algumas economias emergentes aflorarem, como: Brasil, China e Índia.
          Até ai tudo bem. Poderíamos até considerar o governo do PT uma conquista da democracia, pois seu maior líder tinha emergido do chão de fábrica, sendo um representante legitimo do povo e da classe trabalhadora. Infelizmente, o filme seguiu um roteiro diferente e o que presenciamos passo a destacar:
  1. O governo mais corrupto da história brasileira - Praticamente todo o primeiro escalão de governo do primeiro mandato do presidente Lula foi afastado do poder por corrupção e muitos deles foram parar na cadeia. No Governo Dilma não foi diferente. São dezenas de escândalos de corrupção, dentre os quais os maiores são o "mensalão" e agora o "petrolão", que pode ser ainda maior que o anterior. São mais de 100. Veja a lista a seguir:                                                           Governo Lula - http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/crise_lula/cronologia.html e Governo Dilma - https://br.noticias.yahoo.com/conhe-os-maiores-esc-ndalos-governo-dilma-154600712.html
  2. O aparelhamento da máquina pública - A interdependência entre os poderes e o fortalecimento das instituições públicas, conquistas da democracia, desfalecem diante dos nossos olhos. Vemos uma relação descarada e promiscua entre os poderes e um aparelhamento sem igual dos órgãos federais em prol da ideologia petista. Tratam o Estado como propriedade privada, onde, para indicação e nomeação o que vale não é a competência, mas a militância politica.
  3. As tentativas do Controle da Imprensa e da Mídia - Como em todo regime ditatorial, a liberdade de expressão deve ser cerceada, pois só deve prevalecer a opinião do partido dominante. São incontáveis as tentativas de calar a imprensa e de controlar a mídia. Aqueles que tem opinião contrária são considerados inimigos e portanto devem ser calados a qualquer custo. A militância petista possui uma forte rede de comunicação, usada sempre para desconstruir a imagem dos seus adversários e o pior, tudo financiado com dinheiro público.                   http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/96489-pt-pede-campanha-por-controle-da-midia.shtml
  4. O financiamento ilegal de movimentos pseudo-sociais - Não é novidade para ninguém que movimentos como Sem Terra, Sem Teto, entre outros, não passam de fachadas para o escoamento do dinheiro público. Pense comigo: Em 12 anos de governo por que a Reforma Agrária (maior reivindicação dos sem terra) não foi feita? Por que o problema dos sem teto não foi resolvido com o Minha Casa, Minha Vida? Na verdade esses movimentos são financiados pelo governo e funcionam como uma espécia de guerrilha civil. Vale lembrar que estão dispostos a tudo para perpetuarem-se no Poder. Leia as matérias a seguir e comprove:                                           http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/140545/St%C3%A9dile-do-MST-promete-guerra-se-A%C3%A9cio-ganhar.htm e https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153533/Stedile-do-MST-promete-protestos-di%C3%A1rios-se-Marina-for-eleita.htm.
  5. A tentativa de golpe político através dos Conselhos Sociais -  Recentemente surgiu essa investida sutil contra a democracia. Em nosso país o Congresso é responsável pela elaboração e fiscalização das leis. Tanto na Câmara Federal, quanto no Senado as cadeiras são ocupadas representativamente, ou seja, através de eleição escolhemos os nossos representantes. Nesse modelo petista as decisões importantes da nação necessitariam ser aprovadas por esses "conselhos comunitários" que naturalmente seriam ocupados por movimentos sociais financiados pelo Governo, ou seja, "a raposa cuidando do galinheiro". Dessa forma o PT se consolidaria no Poder podendo mudar a Constituição ao seu bel prazer.
  6. A defesa e a promoção camuflada de ideologias anti-cristãs - O ministro Gilberto Carvalho em um encontro do partido em 2013 defendeu que o PT deveria travar uma luta ideológica contra a Igreja (http://portugues.christianpost.com/news/lideranca-do-pt-quer-fazer-disputa-ideologica-na-midia-com-os-evangelicos-malafaia-responde-10155/). Vemos o empenho do Governo Federal na luta pela aprovação do aborto, na tentativa da criminalização da homofobia, na defesa do casamento entre pessoas do mesmo sexo, na tentativa da distribuição da cartilha gay nas escolas, no financiamento do ativismo gay e em mais de 800 projetos que tramitam no Congresso, todos afrontando os valores morais e da família.
          Esses são os capítulos principais dessa novela de horror. Faz-se necessário que os cristãos independentemente de crenças e denominações possam unir-se nessa cruzada à favor da liberdade cristã e de expressão e do fortalecimento dos valores morais e da família. A mudança está em nossas mãos. Ainda há tempo de reverter esse futuro sombrio que está desenhado para nossa nação. Que Deus nos abençoe.  

domingo, 11 de maio de 2014

Deus Mandou Mamãe



          Creio que o texto bíblico mais apropriado para descrever a figura da mãe encontra-se em 1ª Coríntios, capítulo 13, versículo 7. Ali está escrito que o amor tudo crê, tudo sofre, tudo espera e tudo suporta. Como diz um o velho ditado: "Ser mãe é padecer no paraíso". Alguns alegam que não podem crer em Deus porque nunca o viram, mas basta olhar ao lado e logo encontrarão a mais bela representação da divindade. Nas mamães o amor de Deus revela-se de maneira tão límpida e concreta, pois somente O Criador e as mães nunca desistem dos seus filhos.
          O amor que acredita, mesmo quando todos já desistiram, inclusive os pais. O amor que enfrenta os desafios nas escolas, hospitais, delegacias e presídios, ora sorrindo, ora chorando, mas nunca deixando de crer, de esperar e de acreditar naqueles que pôs no mundo.
          O amor que sofre, as vezes aos gritos, outras em silencio profundo, mas que não desiste, não se entrega e não se dá por vencido. O sofrimento dos filhos inevitavelmente é transmitido para as mães, pois o elo de ligação não se rompe com a soltura do cordão umbilical, mas se estende por toda a vida.
          O amor que espera, que é resiliente, perseverante e teimoso. O amor que não impõe condições e não espera nada em troca. O amor doador e fiel, àquele que está ao alcance enquanto na velha mãe existir o fôlego de vida.
          O amor que tudo suporta, mesmo os vexames, as afrontas e as aflições que o mundo cruel lhes impõe. O amor que aguenta o desprezo, a ingratidão, o abandono, mas que não consegue deixar de amar.
          Assim é o amor de mãe, igual ao amor de Deus, que mesmo sendo renegado, abandonado e blasfemado, não consegue abrir mão da humanidade. Termino essa pequena homenagem lembrando de Maria. Todos os discípulos, seguidores e amigos abandonaram o Cristo, mas até o fim, até o último suspiro havia uma MÃE aos pés da cruz. Filhos valorizem o maior presente que Deus concedeu a vocês.

sábado, 12 de abril de 2014

A Mensagem do Filme Noé


          Não tenho a motivação e nem a qualificação necessária para tecer uma critica especializada a respeito do filme Noé, mas, em meio a nuvem de polemicas que o longa suscitou, quero apenas deixar algumas impressões. Não é preciso ser historiador ou teólogo para saber que a narrativa da trama não é histórica e muito menos bíblica.
          A obra dirigida por Darren Aronofsky (autor de Cisne Negro) e estrelada por um elenco de primeira grandeza: Russel Crowe (Noé), Jennifer Connely (esposa de Noé), Anthony Hopkins (Matusalém) e Emma Watson (esposa de Sem) contou com um orçamento de centenas de milhões, com uma cenografia riquíssima e com efeitos especiais extraordinários, reunindo portanto todos os requisitos para se tornar um épico memorável. Infelizmente, parecer não ser esse o desfecho do longa. O filme se valeu de uma das mais belas narrativas bíblicas descaracterizando-a de maneira grotesca e abusiva.
        O bispo Marcelo Brayner, da Igreja Universal do Reino de Deus destacou acertadamente todos os erros bíblicos cometidos na trama (veja em http://cinema.gospelprime.com.br/erros-biblicos-filme-noe/). As críticas são generalizadas, pois, além da ausência total de compromisso com o texto bíblico o enredo traz uma mescla entre um passado distante e um futuro pós apocalíptico. Noé parece muito mais um mercenário oriundo do filme "O Livro de Eli" do que um patriarca bíblico.
          Desde a estréia no Brasil (03 de Abril de 2014) percebi nas redes sociais o descontentamento com o longa. Fui então assistir para formar meu conceito e além de tudo o que já destaquei, percebi uma motivação oculta e proposital nas entrelinhas. É fato que o sucesso nas bilheterias está garantido, mas acredito que o grande objetivo do filme vai muito mais além do que o retorno financeiro.
          Não é de hoje que a industria cinematográfica vem sendo usada como ferramenta de manipulação das massas para os mais diversos fins. Um dos principais alvos da artilharia hollywoodiana sempre foi o cristianismo. O enredo de Darren Aronofsky traz a perspectiva humanista e por que não satanista de um Deus tirano e cruel, que manipula a raça humana a seu bel prazer. Além disso, apresenta os demônios ou anjos caídos como criaturas injustiçadas e que merecem redenção.
          É claro que a grande maioria dos cristãos que possuírem o minimo conhecimento bíblico refutarão tais insinuações, mas o que dizer daqueles que não conhecem as Sagradas Escrituras? Será que conseguirão dissociar a fantasia da realidade? O objetivo de Satanás é confundir e disseminar suas mentiras usando o máximo de ferramentas que estiverem à disposição. É óbvio que o filme Noé é apenas mais um esforço satânico para desqualificar a Deus e à Sua obra na terra. Nós, como cristãos, devemos permanecer vigilantes refutando qualquer ideia que desqualifique as nossas convicções de fé. 

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Cartas para Deus


          Ontem tive a oportunidade de assistir o filme Cartas para Deus e confesso que por muitas vezes fui as lágrimas diante dessa bela história de vida. O enredo lançado em 2011 narra a trajetória do garoto de oito anos Tyler Doughtie, que mesmo diagnosticado com um câncer raro no cérebro não desiste da vida e com uma esperança contagiante decide escrever diariamente cartas para Deus. Essas cartas vão parar nas mãos do carteiro Brady McDaniels, que está em meio a um grande drama familiar. Brady resiste no início, mas acaba se rendendo as cartas e fica impactado ao perceber que o menino em momento algum pede por sua cura, mas intercede ao Senhor pela vida de todos que estão ao seu redor.
         Diante daquele cenário inesperado de fé e coragem McDaniels se aproxima do garoto e experimenta uma transformação de vida pela fé, não sabendo que as cartas não mudariam apenas a sua história, mas sim a de todos aqueles que estavam ao redor do pequeno Tyler. A trama nos mostra que mesmo nas mais difíceis adversidades da vida podemos ser instrumentos de Deus irradiando esperança e fé àqueles que estão ao nosso redor.
          Desde o início da trama esperamos avidamente pela cura do menino, o que não acontece. Ai está a beleza da mensagem, pois como está escrito em Isaías 55, os caminhos de Deus são mais altos que os nossos e os Seus pensamentos muito mais elevados que os meus e os seus. Sempre esperamos por algo que entendemos como o melhor, mas o Senhor sabe como transformar em benção situações que aos olhos humanos parecem aterradoras.
            A grande lição de Cartas para Deus é que devemos confiar na soberania divina, mesmo quando as circunstâncias nos levam ao desespero. Não podemos desistir de viver simplesmente porque erramos o caminho ou porque não sabemos o que fazer diante das tempestades da vida. Devemos assim como o pequeno Tyler, olhar para Deus e fazermos de nossa vida a mais bela carta. Dessa forma todos que nos conhecem reconhecerão ao Senhor através de nossa existência. Não perca mais tempo, faça a sua vida valer a pena.
"Vocês demonstram que são uma carta de Cristo, resultado do nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedram mas em tábuas de corações humanos". 2ª  Coríntios 3: 3.

Tyler Doughtie faleceu em 2005 e seu pai Patrick Doughtie decidiu escrever o roteiro de Cartas para Deus em 2007 como forma de levar esperança a milhares de famílias que são vitimadas pela câncer.