sexta-feira, 26 de julho de 2013

A Arte de Mentorear

         
          O termo mentoria tem sido muito usado em nosso dias, mesmo que boa parte daqueles que dele fazem uso desconheçam do que se trata. Essa função é desenvolvida em todos os segmentos da sociedade, podendo ser aplicada de forma casual ou não. Segundo o dicionário mentoria é: "Ser responsável pela idealização ou pelo planejamento de alguma coisa, para cuja execução influencia o comportamento de outrem".  
          O sentido espiritual desse exercício é um pouco mais amplo, pois a influência vai além do incentivo as conquistas materiais, compreendendo o próprio estilo de vida e comportamento. Desde os primórdios vemos a importância da mentoria na formação do homem e que sem essa ferramenta o desenvolvimento pessoal torna-se mais lento e precário. Hoje, principalmente no meio evangélico, observamos vários líderes que se auto-intitulam mentores, mas que não primam verdadeiramente pelo amplo crescimento de seus discípulos, pelo contrário amealham um grupo de seguidores com o simples objetivo de satisfazer os seus desejos pessoais. Isso não é mentoria! É despotismo! 
          O verdadeiro mentor é aquele que usa sua experiencia de vida para orientar e influenciar aqueles que estão dando os primeiros passos em qualquer empreendimento. Exerce a função de um pai que acima de tudo anseia por ver o desenvolvimento pleno do seu filho, de um mestre que vê no seu pupilo a perpetuação do seu legado. O Apóstolo Paulo nos deu um belo exemplo dessa missão, através do discipulado dado ao jovem Timóteo. Tal exemplo levou aquele rapaz inexperiente ao ápice do sacerdócio, desfrutando de um crescimento maravilhoso em todas as áreas de sua vida.
          Assim como Timóteo, todos nós precisamos de alguém que exerça influência e autoridade sobre as nossas vidas, pois com certeza isso tornará a nossa caminhada mais segura e próspera. Aqueles que se submetem a mentoria de líderes experientes, sóbrios, sábios e acima de tudo servos de Cristo, com certeza irão mais longe e no futuro também poderão usar seus exemplos de vida para abençoar a outros. Não importa a sua área de atuação, procure alguém mais experiente e de confiança para mentorear você e veja os grande benefícios de trilhar caminhos desconhecidos com a orientação de quem já passou por eles.

domingo, 7 de julho de 2013

Vazio Interior


          Em nenhum momento da história tivemos à nossa disposição tanto lazer e entretenimento como nos dias atuais. Em contrapartida vivemos na era dos antidepressivos e da depressão como a "doença do século", ou seja, estamos diante de um verdadeiro paradoxo. Nunca compreenderemos esse fenômeno se não o analisarmos à luz da escrituras sagradas. O panorama bíblico mostra que quanto mais o homem afasta-se do Criador e se acerca de ilusões e fantasias, mais aumenta o seu vazio interior.
          Quando penso nesse assunto gosto de estabelecer o jogo quebra-cabeça como um paralelo, pois, Deus ao formar o homem, o fez propositalmente com um espaço que só pode ser preenchido com a Sua presença, um vácuo do tamanho do Altíssimo. Dessa forma só encontraremos a paz e a tão sonhada felicidade quando permitimos a entrada do divino em nossa existência.
          Jesus nos afirma no capítulo quinze, versículo cinco do evangelho de João que sem Ele nada podemos fazer, o que nos leva a um estado de constante dependência. Muitos podem encarar isso como o tolhimento da liberdade humana, mas na verdade é o contrário, pois, só gozaremos da plena liberdade quando estivermos vivendo a desejada vida abundante. Esse nível de felicidade e de qualidade de vida só pode ser alcançado com a solução do vazio interior.
          Somente em Cristo temos a possibilidade de preenchermos o espaço que há dentro de nós, de experimentarmos uma vida com propósito. O mundo que está ao nosso redor não tem sentido em si mesmo, tendo em vista que todas as coisas que fazemos, mesmo as mais simples precisão ter significado e essa razão de ser só é possível através de uma vida dentro propósito em Deus.