quinta-feira, 16 de maio de 2013

O Despertar de Uma Ditadura


         Na aurora do século XXI vemos no Brasil o despertar da ditadura esquerdista/gay, que assim como todo regime autoritário, visa vitimar em primeiro lugar a liberdade de expressão. Com a ascensão do PT ao governo temos visto com espanto, o uso da máquina pública para o cerceamento da imprensa e para a promoção de um sistema de valores que confrontam diretamente a família e a nossa formação predominantemente cristã. Em mais um capítulo dessa história grotesca assistimos o Conselho Nacional de Justiça afrontar a própria Constituição Federal e usurpar a função do Congresso Nacional ao exigir que os cartórios do Brasil oficializem o casamento gay, matéria que é de competência do legislativo brasileiro.
           Os ativistas logo bradarão que no Congresso uma matéria assim não passa. Então por que não aceitam um plebiscito nacional com o objetivo de arguir cada brasileiro sobre a sua opinião sobre o assunto? Não, preferem por meio de atos nada republicanos ou democráticos obrigar a nação a aceitar um comportamento que por formação moral e religiosa, a mesma rejeita. Se isso não for ditadura então o que é? Não aceitam dialogar, antes querem calar e perseguir todos aqueles que pensam de maneira diferente.
          Vemos exemplos claros dessa perseguição e tentativa de intimidação nos casos recentes envolvendo o Pr Marco Feliciano, que foi eleito de forma legítima para presidir a CDHM da Câmara e queriam a força destitui-lo da função, depois tivemos o caso da cantora Joelma que emitiu uma opinião em relação ao comportamento homossexual e logo foi alçada a inimiga da turma LGBT e ontem a mais nova vítima foi a ex-senadora Marina Silva, que numa palestra em Recife emitiu sua opinião sobre o caso Feliciano, disse que não achava o mesmo qualificado para a função, mas que toda essa perseguição contra o parlamentar não era por esse mérito e sim por questões morais e religiosas, ou seja, a verdade. Veja no link a seguir que está sendo usado pelos ativistas LGBT para perseguir a ex-senadora (http://www.geledes.org.br/em-debate/colunistas/18737-marina-silva-morreu-abracada-a-feliciano). Querem calar e intimidar todos os que pensam de forma diferente.
          Quando analisamos o que está acontecendo por meio de um prisma bíblico, sabemos que é necessário que tudo isso aconteça, mas, ainda acredito que como cristãos não podemos perder a nossa capacidade de protestar e de defender a nossa fé, mesmo que isso nos custe a liberdade ou a própria vida. As pessoas tem o livre arbítrio, ou seja, tem o direito de escolher o caminho por onde devem trilhar, mas isso não lhes dá o direito de impor a sua conduta e forma de pensar aos demais. Temos aí, ante os nossos olhos, projetos e ações travestidos de políticas públicas que tem como objetivo principal a destruição da família e a anarquização do Estado. Como exemplo destaco a seguir um breve comentário sobre o PL 122/06 e o Kit Gay :

PL 122/06 - Projeto que criminaliza a "homofobia". Termo criado pelos ativistas gays para tratar as pessoas que discordam de suas práticas e do seu discurso. Este projeto de lei visa punir aqueles que discriminarem alguém por ser homossexual. Como argumento os ativistas manipulam dados e mostram que os homossexuais são a classe mais perseguida e marginalizada da nação e por isso precisam de uma lei específica que os proteja. Por trás o que há na verdade é o tolhimento da liberdade de expressão. Segundo o texto da lei, a própria Bíblia precisa ser revista, pois é considerada um livro "homofóbico". Outro fator que a legislação trás em seu bojo é a criminalização da opinião. Ninguém poderá se posicionar contra a prática do homossexualismo, sob pena de ser preso por discriminação. Num país que se critica o presidente, os parlamentares, os líderes religiosos e etc... ninguém poderá tecer nenhum comentário sobre a turma LGBT.

KIT GAY - Cartilha confeccionada pelo Ministério da Educação para ser distribuída nas escolas públicas brasileiras com o objetivo de educar as crianças, adolescentes e jovens sobre o combate a homofobia. Na verdade o material como podemos ver no vídeo a seguir é um incentivo ao homossexualismo e ao erotismo infantil. Um verdadeiro absurdo. (http://www.youtube.com/watch?v=qXK9zSg_fFE).

          Por fim volto ao início. No último dia 14 o CNJ - Conselho Nacional de Justiça afrontando a Carta Magna do nosso país e usurpando a função do Congresso Nacional baixou uma resolução que obriga os cartórios do Brasil a  realizarem o casamento civil de pessoas do mesmo sexo. Vale lembrar que em 2011 o STF usando do mesmo estratagema reconheceu a união estável entre casais do mesmo sexo. Naquela ocasião os defensores da ideia alegaram que os casais homo afetivos precisavam ter os mesmos direitos que os hétero afetivos, o que diga-se de passagem não sou contra, pois se um casal gay constrói um patrimônio juntos e um dos dois morre, o lógico é que os bens fiquem para o outro. Mas agora qual será a alegação?  O que vejo é a imposição do pensamento e do posicionamento de uma minoria sobre os demais cidadãos brasileiros. Destaco a seguir um artigo do Reinaldo Azevedo sobre o assunto:
          Independentemente de qualquer coisa a autonomia e a independência dos poderes deve ser respeitada. Não podemos admitir que o Poder Judiciário, que como função deve fiscalizar e exigir o cumprimento da lei, outorgue a si mesmo o direito de criar a lei, pois isso é função do Poder Legislativo. O Congresso é a representação legítima do povo e dos seus anseios, pois os que estão lá foram colocados pelo povo e para o bem do povo. Dessa forma acredito que essa constate subversão de papéis vai criar uma paradigma para atos de violação ao Estado de Direito, o que é a base de todo sistema autoritário.
          Em decisão tomada hoje a CNBB também se posicionou sobre o tema, veja o link a seguir: (http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/05/1279706-cnj-nao-tem-competencia-para-decidir-sobre-casamento-gay-diz-cnbb.shtml). Infelizmente a Igreja Evangélica Brasileira tem preferido a omissão, com várias exceções é claro. Creio que devemos ter o ímpeto de Lutero e a firmeza de Calvino, pois quer queiramos ou não, essas decisões mais cedo ou mais tarde, confrontarão a nossa fé e a nossa família. Precisamos acabar com esse pseudo combate entre religiosos e homossexuais, pois isso não existe. O que realmente está por trás é a manipulação esquerdista que em conluio com os ativistas LGBT trabalhão arduamente para estabelecer uma cultura subversiva e destrutiva em nosso amado Brasil. Acorda Igreja!
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desse post?