quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Prioridade Cinco: Vida Profissional


          A vida profissional é tão importante quanto as outras áreas de nossa vida. Infelizmente muitos cristãos a negligenciam e por isso experimentam a maldição da ruína e da escassez. Na Bíblia, mais precisamente na epístola aos Efésios, capítulo 6, versículos de 5 a 7, encontramos a seguinte recomendação: "Vós, servos, obedecei a vossos senhores segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo; Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus; Servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens". Ou seja, devemos nos portar no ambiente profissional da mesma forma que no eclesiástico, honrando o nosso patrão como honramos a Deus.
           É necessário compreendermos que o trabalho honesto é bênção de Deus. Através deste temos legalidade para prosperar financeiramente. Outro versículo que me chama atenção está em Provérbios, capítulo 10, versículo 4: "As mãos preguiçosas empobrecem o homem, porém as mãos diligentes lhe trazem riqueza." Observe as escrituras sagradas e veja que o Senhor sempre chamou homens e mulheres ocupados para a Sua obra. Nem Deus conta com o preguiçoso e negligente. Como cristãos devemos abandonar a ideia errónea de que podemos exercer nossa vida profissional de qualquer forma, pois o nosso trabalho é descansar em Deus. Este texto refere-se a necessidade de vivermos na dependência e direção divina sem anular nossa fidelidade no cumprimento de nossas responsabilidades. Portanto tenha certeza que a bênção do Senhor repousa sobre todo aquele que é fiel em tudo o que faz.
          Em 2013 decida ser um profissional comprometido, ser exemplo em tudo e você verá que as portas se abrirão e as oportunidades se apresentarão. Se porventura você não estiver satisfeito com o seu trabalho, ore e qualifique-se mais, na certeza de que dias melhores virão. A vida profissional deve ter o seu tempo respeitado da mesma forma que a vida com Deus, com o cônjuge,  com a família e com o ministério. Antes de concluir essa reflexão quero compartilhar o texto encontrado no evangelho de Mateus, capítulo 5, versículo 16: "Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês que está nos céus". Alegrem ao Criador com o seu testemunho nesta área da sua vida.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Prioridade Quatro: Vida Ministerial


          Hoje abordaremos a quarta prioridade da série Estabelecendo Prioridades. Trata-se da vida ministerial. Assim como devemos designar um tempo para a vida com Deus, com o cônjuge e com a família, o mesmo devemos fazer para com o ministério, pois é nesse ponto que exercitamos a nossa fé, plantando as sementes que durarão por toda eternidade.
          Gosto particularmente de tratar sobre o assunto, principalmente pela possibilidade de desconstruir alguns paradigmas, tais como:  somente alguns no corpo de Cristo são chamados para o ministério, existe o ministério de tempo integral e parcial e o ministério é determinado pela função que se ocupa na igreja local. 
          O primeiro dogma que gostaria de tratar é a ideia tão difundida de que somente algumas pessoas no Corpo de Cristo são chamadas para desenvolverem um ministério. Isso é um engano! Veja o que o Apóstolo Paulo escreveu em 2ª Coríntios, 5: 18: "E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação". Quando aceitamos a Cristo recebemos imediatamente o ministério da reconciliação, que será desempenhado em nossas vidas através das mais diversas atividades, como: Pregação, ensino, louvor, zeladoria, portaria, secretariado, etc... Resumindo, tudo que fazemos para Deus, deve ser com o intuito de levarmos as pessoas a se reconciliarem com Ele.
          Outro paradigma é o de que o ministério  pode ser desenvolvido em tempo integral ou parcial. Isso ocorre porque confundimos o período em que estamos desenvolvendo o trabalho na igreja e as atividades que desempenhamos fora da mesma, além de acontecer também quando somos remunerados ou não pela congregação. Para compreendermos melhor vou usar a figura de um pastor que divide seu tempo entre um emprego e o pastoreio de uma igreja, sem receber remuneração por isso. Ele será denominado como pastor de tempo parcial. Agora pergunto: Ele deixa de ser pastor quando está em seu emprego ou em outro lugar? Claro que não, sendo assim ele passa a ser pastor de tempo integral. O ministério que Deus nos dá sempre será integral, pois ele vem acompanhado com dons (talentos e habilidades), que desenvolveremos dentro e fora da congregação.
          Por fim devemos desconsiderar a ideia de que nosso ministério será designado pela função que desempenhamos na obra de Deus. Gosto de uma frase que diz: "É a unção que determina a função e o título e não o contrário". Precisamos identificar as nossas habilidades e usá-las para o serviço do Altíssimo e isso nos levará a ocupar as funções e a receber os títulos. Em 2013 decida dedicar suas habilidades para o exercício do ministério que Deus confiou a você, pois Ele lhe chamou para ser uma benção na vida daqueles que estão ao seu redor

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Prioridade Três: Vida em Família


          Gostaria de começar essa postagem tecendo um pequeno comentário sobre o último filme dos irmãos Kendrick, intitulado "Courageous", "Corajosos" em português. O drama retrata a vida familiar de um grupo de amigos, membros de uma corporação militar, que diante da morte trágica da filha de um deles, decidem dirigir suas famílias de acordo com os princípios bíblicos. É uma bela estória, que emociona do início ao fim. O longa destaca a importância fundamental dos pais na formação integral dos filhos e que a falta dessa participação é a maior causa da degeneração generalizada vivida na sociedade atual.
          Refletimos nas publicações anteriores sobre a importância de colocarmos ordem em nossa vida interior, para que pudéssemos lograr êxito nos desafios que temos pela frente. Já abordamos sobre a importância de colocarmos Deus em primeiro lugar em nossas vidas e sobre a importância de estabelecermos através do casamento uma aliança com Cristo e com o nosso cônjuge. Agora estamos falando sobre a necessidade de edificarmos uma altar para o Senhor no meio de nossa família e que isso dependerá do cumprimento dos dois requisitos anteriores.
          Encontramos no Salmo 127, versículo três a seguinte afirmação: "Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão". Muitos não tem dimensionado a relevância do que está escrito nessa frase. Pois, significa que o Senhor nos deu filhos para que pudéssemos guiá-los para o cumprimento da Sua vontade. Como pai e mãe temos um papel indispensável e intransferível para com a nossa descendência, haja vista, que nossos herdeiros precisam dos nossos exemplos e ensinamentos para receberem as bençãos do Senhor, tais como: afirmação sexual, liberação para a prosperidade, caráter, fé, etc... em todas as fases de suas vidas.
          A ignorância e a consequente negligência para com o cumprimento dessa missão divina tem levado às gerações aos conflitos de identidade e consequentemente à toda sorte de mazelas presentes em nosso meio. Como sacerdotes do lar devemos nos levantar e preparar o caminho para a próxima geração, conscientes de que isso terá início no seio de nossos lares, pois do que adiantará ganharmos milhares de almas para Cristo e perdermos os membros de nossa amada família? Que em 2013 você decida ser uma benção no meio da sua parentela e dessa forma todos possam conhecer a Cristo através de você. Amém.



sábado, 5 de janeiro de 2013

Prioridade Dois: Vida com o Cônjuge


          Continuando com a série Estabelecendo Prioridades, abordaremos hoje a importância de estabelecermos um relacionamento conjugal saudável. Assim como refletimos na publicação anterior, onde destacamos a importância de colocarmos a vida com Deus como primazia para com isso alcançarmos o sucesso em todas as áreas de nosso viver, de igual forma deve acontecer com o casamento. Haja vista, que nele é formado o lar, o ambiente indispensável para a formação e manutenção de uma família abençoada.
          Quando falamos de casamento à luz da Bíblia, falamos de uma aliança a três: homem, mulher e Deus. Entendemos então que a base para a sustentação desse pacto está no Senhor, portanto, à Sua Palavra deve nortear todo o relacionamento. Infelizmente vivemos numa sociedade imersa numa completa inversão de valores, que a cada dia se afasta mais do propósito do Criador. Essa transgressão tem cobrado um preço cada vez mais caro. Veja que a medida que os valores familiares vão sendo degradados, os índices de várias mazelas, tais como drogas, abortos, gestações precoces, DSTs... vão crescendo vertiginosamente. 
          Tudo isso surge com a banalização e vulgarização do sacerdócio do matrimônio. Deus quando formou homem e mulher, estabeleceu uma aliança com Ele e designou funções específicas e intransferíveis para os mesmos, para que através do cumprimento destas, pudesse nascer e se consolidar o ambiente familiar saudável e seguro para a criação dos filhos e assim continuamente. Através desse entendimento compreendemos que quando tais funções são negligenciadas ou invertidas ocorre a quebra da aliança, que consequentemente levará o casamento para fora do propósito divino, acarretando a sua ruína.
          Em nenhum outro tempo o número de divórcios foi tão alarmante como nos nossos dias, pois vivemos na era do se não deu certo é só trocar. Infelizmente não é tão simples assim. Gosto muito de uma frase do Pr Josué Gonçalves, que Diz: "Nenhum sucesso justifica o fracasso de uma família!". Isso é verdade, pois num divórcio todos são prejudicados, tanto o casal quanto os filhos sempre carregarão as sequelas para as suas vidas e relacionamentos. Vale ressaltar que até mesmo os matrimônios alicerçados no Senhor passam por momentos de dificuldades, porém, nunca consideram a hipótese de separação, pois, confiam no Senhor e na Sua fidelidade para com o pacto estabelecido no altar.
          Em 2013 renove os seus votos com o seu cônjuge e submeta-se à missão que Deus confiou a você como esposo ou esposa. Não deixe que o relativismo e a sedução desse mundo sem Deus arruínem o compromisso que você consolidou diante de Cristo. Entenda que você foi estabelecido como sacerdote no seu lar e que seus filhos dependem de sua fidelidade e obediência para receberem as bençãos e promessas do Senhor em suas vidas.  

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Prioridade Um: Vida com Deus


          Como abordamos na postagem anterior, devemos estabelecer uma lista de prioridades em nossa vida, para com isso pôr ordem em nosso mundo interior. Sem dúvida, o primeiro objetivo é a vida com Deus, pois, disso dependerá todos os outros. Ter um relacionamento intimo com o Senhor consiste basicamente na prática diária da oração e da meditação nas escrituras sagradas, tendo em vista, que esses são os únicos caminhos para falarmos com o Criador e vice versa.
          Através do devocional diário construiremos uma amizade com o Cristo à semelhança do que ocorre no nosso círculo de amigos, onde conhecemos as pessoas e à medida que passamos tempo com elas aumentamos ou não o nosso nível de intimidade. Se dedicamos muito tempo a alguém, maior será o nosso nível de intimidade com essa pessoa, em contrapartida, se passarmos pouco tempo com a mesma, menor será a nossa proximidade e se não desfrutarmos nenhum tempo, consequentemente não teremos amizade alguma. Por meio dessa analogia podemos compreender porque existem pessoas no meio da igreja que praticamente não conhecem a Deus.
          É um engano acreditar que obteremos sucesso nas áreas de nossa vida sem antes dedicarmos um tempo precioso para edificarmos um relacionamento intimo com o Senhor, pois, somente através dessa relação conheceremos verdadeiramente a Deus e dessa forma compreenderemos a Sua vontade para nossa vida, o que nos orientará e nos levará a ter êxito em tudo o que empreendermos. Lembro-me do Salmo um, mais especificamente nos versículo dois e três, onde está escrito: "Antes tem o seu prazer na Lei do Senhor, e nela medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiro de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará". 
          Veja que a verdadeira prosperidade está relacionada diretamente com o nível de proximidade que temos com a Santa Trindade. Vale ressaltar que a prosperidade genuína não consiste apenas em possuir riquezas e bens, mas em ter a benção de Deus presente em todas as áreas do nosso viver, pois a própria Bíblia nos adverte sobre a supremacia da salvação sobre todas as outras coisas. Dessa forma comece 2013 com a determinação de aprofundar cada vez mais seu nível de relacionamento com o altíssimo e à medida que isso acontecer, você verá os maravilhosos frutos da comunhão brotarem em toda sua vida.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Estabelecendo Prioridades


          A cada início de ano temos como prática o estabelecimento de objetivos a serem alcançados; tais como: perda de peso, aquisição de bens, viagens, etc... Infelizmente, a maioria de nossos alvos não se tornam realidade. Como publiquei na postagem anterior, não há nenhum poder transformador ou místico na virada do ano, mas existe a possibilidade de fazermos as coisas de maneiras diferentes para obtermos resultados diferentes. Lembro-me de um livro que li no início de minha caminhada cristã, intitulado: Ponha ordem no seu mundo interior, do pastor e escritor norte americano Gordon MacDonald. Através dessa leitura aprendi algo poderoso, que pode nos levar a ter êxito na conquista dos nossos alvos.
          O autor faz o paralelo entre uma ponte de comando de um navio e as áreas de nossa vida. Gordon mostra através de comparações, que assim como a ordem de prioridades é fundamental para o bom desempenho da embarcação, o estabelecimento de prioridades é indispensável para sermos bem sucedidos no que empreendermos. Dessa forma compreendemos que a ordem interior gerará frutos no exterior e isso nos levará consequentemente a benção de Deus. MacDonald elenca uma lista de prioridades que devem ser estabelecidas em nossas vidas e que certamente levarão ordem e equilíbrio ao nosso mundo interior. Para o autor devemos estabelecer a seguinte lista de prioridades:
  1. Vida Devocional - Seu momento de intimidade com o Senhor.
  2. Vida Conjugal - Seu momento de intimidade com o seu cônjuge.
  3. Vida Familiar - Seu momento de comunhão com a sua família.
  4. Vida Ministerial - Seu momento de dedicação ao exercício do ministério que Deus lhe confiou.
  5. Vida Profissional - Seu momento de desempenhar a sua função profissional.
  6. Vida Social - Seu momento de desfrutar com os amigos e conhecidos.
          É claro que podemos estabelecer mais tópicos e sub-tópicos a essa lista, mas jamais podemos inverter a ordem de prioridade, pois, sempre que isso ocorre teremos dissabores e frustrações. 2013 poderá ser o melhor ano de nossas vidas, onde veremos todas as nossas metas serem superadas, mas, para que isso ocorra precisaremos pôr ordem em nosso mundo interior. A partir de hoje desenvolverei reflexões diárias sobre cada uma das prioridades de nossas vidas e as publicarei aqui no blog. Um abraço.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Feliz Dois Mil e Sempre


          Mais um ano se inicia e com ele renovamos as nossas expectativas por dias melhores. Esse rito que se repete a cada 365 ou 366 dias é carregado de uma atmosfera mística de mudanças. Mas afinal: Que poder tem o ano novo para transformar as nossas vidas? Estou convencido que nenhum. Mas então: Devemos encarar a virada de ano como apenas a passagem de um dia para o outro? Também não, antes devemos aproveitar essa oportunidade para refletirmos sobre a vontade de Deus para cada um de nós e dessa forma procurarmos com afinco nos tornarmos pessoas melhores.
          Com certeza a melhor maneira para começarmos e terminarmos o ano bem é aplicarmos em nosso viver os princípios contidos na Palavra de Deus. Hoje pela manhã iniciei mais uma vez a leitura do livro dos Provérbios e me vi novamente diante de verdades que podem nos mudar completamente. Li sobre a excelência da sabedoria e sobre como sofrem aqueles que a desprezam, aqueles que perseveram em desobedecer a Deus. Prossegui em minhas reflexões e compreendi que as chaves para uma vida abençoada estão bem diante do ser humano e ainda assim o mesmo insiste em não enxerga-las.
          Tenho a mais absoluta certeza que as bençãos do Senhor serão abundantes em 2013 para aqueles que de todo coração determinarem obedecer ao Senhor, assim como sei que o ano que iniciou será apenas mais um ano de frustrações e dissabores para os que insistem em caminharem afastados de Deus. Esqueçamos a mística e entendamos que a passagem do ano não tem poder em si mesma para transformar nada, mas que pode servir de divisor de águas para todos que desejam uma nova vida ao lado de Cristo. um feliz 2013.