sábado, 28 de julho de 2012

A Parábola de Jotão

No livro dos Juízes, capítulo nove, versículos de sete a quinze encontramos a seguinte parábola: "E, dizendo-o a Jotão, foi e pôs-se no cume do monte Gerezim, e levantou a sua voz, e clamou e disse-lhes: Ouvi-me, cidadãos de Siquém, e Deus vos ouvirá a vós; Foram uma vez as árvores a ungir para si um rei, e disseram à oliveira: Reina tu sobre nós. Porém a oliveira lhes disse: Deixaria eu o meu óleo, que Deus e os homens em mim prezam, para dominar sobre as árvores? Então disseram as árvores à figueira: Vem tu, e reina sobre nós. Porém a figueira lhes disse: Deixaria eu a minha doçura, o meu bom fruto, para dominar sobre as árvores? Então disseram as árvores à videira: Vem tu, e reina sobre nós. Porém a videira lhes disse: Deixaria eu o meu vinho, que alegra Deus e os homens, para dominar sobre as árvores? Então todas as árvores disseram ao espinheiro: Vem tu, e reina sobre nós. E disse o espinheiro às árvores: Se, na verdade, me ungis por rei sobre vós, vinde, e abrigai-vos debaixo de minha sombra; mas, se não, saia fogo do espinheiro que consuma os cedros do Líbano.
Na epístola de Paulo aos romanos, capítulo treze, versículo um está escrito: "Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Deus". Confesso que por muitos anos fiquei confuso em relação a esse texto, pois, jamais concebi que maus governantes fossem estabelecidos por Deus. Ao aprofundar-me na interpretação da referida porção bíblica descobri algo maravilhoso, que me abriu a visão.

O termo "autoridade" expresso no texto, vem da palavra grega "exousiai", que significa "potestades", ou seja, posições ou esferas de governo. Assim compreendi que Deus estabeleceu as posições de autoridade, dando ao homem o poder de escolher quem exercerá o poder através das mesmas. Ao mesmo tempo que senti um alívio, por entender que Deus não escolhe os maus governantes, também senti o peso da responsabilidade que repousa sobre cada ser humano, que deve escolher as pessoas que exercerão o poder através das posições de autoridade estabelecidas pelo Criador.

O pastor batista e ativista político norte americano Martin Luther King Jr em um de seus discursos proferiu a seguinte frase: "O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons". O referido texto está em plena concordância com o que diz a parábola de Jotão, pois, como vimos no segundo paragrafo, Deus estabeleceu as posições de governo, mas, facultou ao homem o direito de escolher quem vai ocupá-las. Estamos vivendo um importante momento em nossa nação, pois, no dia sete de outubro escolheremos os prefeitos e vereadores que governarão as nossas cidades nos próximos quatro anos.

Boa parte da população está tão frustrada com a classe política que prefere se omitir do debate nesse momento crucial. Essa atitude só favorece os maus políticos, que através de práticas espúrias, como a compra de votos, continuam ocupando as posições de autoridade constituídas por Deus. Nós, como cristãos, devemos participar ativamente do processo político de nossa cidade, desde a escolha de candidatos preparados e comprometidos com a população até a fiscalização da atuação dos mesmos no exercício do mandato. Desse forma exerceremos plenamente nossa cidadania e colaboraremos para a transformação de nossa comunidade.



2 comentários:

  1. Prezado amigo.
    Graça e paz, meu entendimento sobre o estabelecimento de autoridade é um pouco diferente, mesmo os maus governantes exercem poder por plena permissão do Altíssimo, tanto é que devemos respeito mesmo aos que não são bons e devemos orar pelos que nos tratam mal.
    Veja que a ciência de Deus é tal grande que não conseguimos entender, a Bíblia afirma que Deus determina a doença e o mesmo Deus concede a cura, porem tudo conspira para o bem dos que amam nosso Deus, então independente do problema ou da autoridade devemos descansar e confiar no plano perfeito de Papai.
    Grande abraço
    Luiz de Jesus Peres Soares

    ResponderExcluir
  2. Grande amigo Peres. Somente agora estou respondendo aos comentários nas postagens do blog. É verdade que Deus abençoa as pessoas que estão exercendo posições de autoridade e que devemos interceder junto ao Pai pelas mesmas, mas isso não significa necessariamente que Deus desejou que as mesmas estivessem nessas posições, é o que conhecemos como vontade permissiva de Deus. O Criador desde a fundação do mundo estabeleceu posições de autoridade para governar o nosso planeta e confiou aos homens a decisão sobre quem deveria ocupar esses espaços, deixando ao homem também a realidade arcar com as consequências de suas escolhas.

    ResponderExcluir

O que você achou desse post?