sábado, 28 de julho de 2012

A Parábola de Jotão

No livro dos Juízes, capítulo nove, versículos de sete a quinze encontramos a seguinte parábola: "E, dizendo-o a Jotão, foi e pôs-se no cume do monte Gerezim, e levantou a sua voz, e clamou e disse-lhes: Ouvi-me, cidadãos de Siquém, e Deus vos ouvirá a vós; Foram uma vez as árvores a ungir para si um rei, e disseram à oliveira: Reina tu sobre nós. Porém a oliveira lhes disse: Deixaria eu o meu óleo, que Deus e os homens em mim prezam, para dominar sobre as árvores? Então disseram as árvores à figueira: Vem tu, e reina sobre nós. Porém a figueira lhes disse: Deixaria eu a minha doçura, o meu bom fruto, para dominar sobre as árvores? Então disseram as árvores à videira: Vem tu, e reina sobre nós. Porém a videira lhes disse: Deixaria eu o meu vinho, que alegra Deus e os homens, para dominar sobre as árvores? Então todas as árvores disseram ao espinheiro: Vem tu, e reina sobre nós. E disse o espinheiro às árvores: Se, na verdade, me ungis por rei sobre vós, vinde, e abrigai-vos debaixo de minha sombra; mas, se não, saia fogo do espinheiro que consuma os cedros do Líbano.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Momento de Decisão


          Já estamos dentro do período das campanhas políticas municipais. Até o dia 07 de outubro cada cidadão terá a oportunidade de escolher candidatos aos cargos de prefeito e vereador. Dentro do processo cívico mais importante da democracia podemos destacar três perfis de candidatos e eleitores. Vejamos os perfis de candidatos que encontraremos nessa eleição:

1º. O Oportunista - Está no processo eleitoral apenas em busca de algum tipo de favorecimento pessoal. Se for eleito usará o mandato para o enriquecimento ilícito. Em contrapartida, se não for, usará seu desempenho nas urnas para barganhar favores junto aos eleitos. Esse tipo de candidato não tem espírito público e desconhece a ética, pois, enxerga a política apenas como um trampolim para a satisfação de suas ambições pessoais. Infelizmente são a maioria.

2º. O Comprometido - Está no processo eleitoral porque tem espírito público e real interesse no desenvolvimento do seu município. Ser for eleito usará o mandato como instrumento de promoção de igualdade e justiça social. Se não for, usará sua influencia sobre seu eleitorado para pressionar aqueles que foram eleitos, sempre com o objetivo de que cumpram o seu papel. Outra marca desses candidatos é o fato de estarem preparados para exercerem com excelência o cargo que almejam, pois, fazem política motivados por ideais profundos e não se deixam corromper. São poucos, mas, existem.

3º. O Laranja - Está no processo eleitoral pela ação de terceiros. Esse tipo de candidato geralmente é manipulado por espertalhões com falsas expectativas de eleição ou com promessas de recompensas, além disso, se tiverem alguma popularidade podem ser usados como "puxadores de votos", favorecendo a eleição de candidatos menos populares. Se forem eleitos, com certeza serão manipulados politicamente, sempre em busca da satisfação de suas ambições.

          Vejamos agora o perfil dos eleitores:

1º. O Oportunista - Aproveita o período eleitoral para barganhar favores juntos aos candidatos. Vê a política como uma oportunidade de favorecimento pessoal, por isso, se especializa como cabo eleitoral em fazer a velha politicagem, o famoso "toma-lá-dá-cá". Não tem compromisso com o desenvolvimento de seu município, pois, está preocupado apenas com as suas necessidades. Considero esse tipo de eleitor como os maiores responsáveis pela disseminação da corrupção. São muitos.

2º. O Consciente - Sabe o poder que seu voto tem, portanto, procura engajar-se proativamente no movimento político-partidário, enxergando a política como instrumento de transformação social. Geralmente é movido por ideais e por esses se identifica com os seus candidatos, sempre abominando a qualquer forma de corrupção. Esse eleitor sabe que precisa ocupar os espaços de poder, por isso, apóia candidatos comprometidos e cobra dos mesmos resultados durante o mandato. Outro fator a se destacar é o fato de que o eleitor consciente sabe que o mandato tem prazo de validade e por isso exerce a livre cidadania usando seu voto como instrumento de renovação. Esse segmento está em expansão.

3º. O Alienado - Em sua maioria são pessoas boas e honestas, que em virtude da sucessão de escândalos no meio político preferem manterem-se afastadas do processo eleitoral, sempre com as  alegações de que política não presta, que é suja e que só tem ladrão. Infelizmente, após as eleições todos serão governados pelos eleitos, muitos deles são exatamente os corruptos que tanto criticam. Esse eleitor não contribui positivamente com o desenvolvimento de seu município e com certeza sua omissão contribui com a permanência dos oportunistas em cargos públicos, pois, como a própria Bíblia diz: "Os maus prosperam na omissão dos bons". Ainda são a maioria do eleitorado.

          A política ideal é feita com o eleitor consciente que vota no candidato comprometido. Sei que não é algo tão fácil e nem veremos grandes mudanças a curto prazo, mas é necessário começarmos a fazer a diferença. Pense bem antes de apertar as teclas CONFIRMA ou  BRANCO. 



quinta-feira, 19 de julho de 2012

Uma Nova Identidade


          Na primeira epístola do Apóstolo Pedro, capítulo dois, versículos nove e dez está escrito: "Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a maravilhosa luz; Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora alcançastes misericórdia. "Essa porção bíblica ressalta um aspecto maravilhoso da redenção que temos em Jesus, pois, através dela experimentamos a transformação radical de nossa natureza, de carnal para espiritual, dessa forma deixamos de ser escravos do diabo e do pecado e nos tornamos filhos do Deus altíssimo.
          Através dessa profunda mudança nos tornamos herdeiros de Deus e co-herdeiros em Cristo e passamos a ter direito legal de desfrutarmos todas as bençãos divinas, assim como um filho naturalmente se beneficia de toda riqueza entesourada pelos seus pais. Infelizmente, muitos cristãos não tem compreendido e nem usufruído dessa realidade, pois, ao invés de assentarem-se legalmente na mesa do banquete e desfrutarem dos manjares do Rei, tem se contentado apenas com as migalhas que caem ao chão. Agora pergunto: Como podemos desfrutar essa maravilhosa promessa?
          Só podemos experimentar tão grande graça quando compreendemos a plenitude da redenção que temos em Cristo Jesus; quando decidimos romper com a mentalidade de escravos e viver a realidade de filhos; quando recebemos o DNA divino, a linhagem real. E para que isso ocorra é necessário que rompamos com todas as coisas do passado; do velho homem; da velha natureza, em contrapartida devemos devotar a nossa vida em adoração a Deus, para que através da ação do Espírito Santo possamos ter o nosso caráter lapidado à semelhança de Jesus Cristo. 

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Desatando os Nós


         Foi através da lança romana que Cristo derramou seu sangue pela última vez. Esse derramamento de sangue representa a cura de nossas emoções e sentimentos, pois, aqueles que nos ferem e magoam são os que estão ao nosso lado. Uma multidão incontável de pessoas são reféns de sentimentos gerados por traumas do passado e por causa disso tem seu presente e futuro totalmente comprometidos. Sempre relaciono essa situação a um câncer que pouco a pouco vai destruindo sonhos, projetos e que por fim leva a morte.
          Devemos ter a compreensão de que aquilo que não foi consertado no passado ainda precisa ser resolvido. Nós como cristãos cremos que ao receber a Jesus como salvador de nossas vidas não precisamos mais reparar os erros do passado. Ledo engano, pois, na Bíblia temos o exemplo de Zaqueu, que ao converteu-se decidiu restituir todos aqueles que tinham sido lesados por ele. Portanto, é de suma importância que façamos uma revisão em toda nossa vida, com o auxílio do Espírito Santo, com o objetivo de detectarmos onde ferimos ou fomos feridos no passado e assim buscar reparação urgente.
          Temos ouvido muitos testemunhos de pessoas que mesmo após a conversão sentiam-se limitadas em algumas áreas da vida, mas, que após consertarem as brechas de outros tempos, passaram a desfrutar da liberdade em Deus. Como destacamos no início, Cristo através do sangue que verteu do lado de seu corpo nos deu poder de sermos curados de todos os traumas e frustrações do passado e assim impedir que esses "fantasmas" continuem a nos atormentar. Aplique essa verdade em sua vida e seja abençoado(a).